4 Alimentos ”Perigosos” Que Na Verdade Não São Ruins

4 Alimentos “Perigosos” Que Na Verdade São Saudáveis

Uma das principais regras de uma alimentação saudável é a moderação, da mesma forma que o exagero é um dos piores vilões para quem está de dieta. Muitos alimentos, taxados de vilões ou como sendo perigosos para a saúde, na verdade são saudáveis quando consumidos de forma sensata e moderada.

Nos últimos tempos temos sido bombardeados com tantas informações sobre o que comer, ou o que não comer. E a gordura, por exemplo é um dos itens da lista de alimentos que devemos banir da nossa alimentação. Uma verdadeira batalha, que por décadas, cientistas e meios de comunicação tem travado contra a gordura.

Mas nem tudo que é divulgado por aí é totalmente verdade. Existem alguns fatos que é importante saber para que assim possamos tirar nossas próprias conclusões. Veja informações sobre 4 alimentos considerados perigosos devido ao seu teor de gordura saturada, mas que na verdade não trazem malefícios à saúde e nem à dieta, se consumidos com moderação, é claro.

1. Carnes


Muitas pessoas hoje acreditam que a carne não é um alimento saudável, mas está longe de não ser. Deste a pré-história, os seres humanos se alimentavam de carne e evoluíram como onívoros, com carne e vegetais incluídos em sua dieta. E a carne possui nutrientes muito importantes para a saúde humana.

O problema é que a carne não é mais como antigamente, quando o gado vivia livremente no pasto, se alimentando de capim, assim como as galinhas, de sementes. Hoje em dia, os animais vivem confinados e são alimentados com ração, hormônios e antibióticos para fazê-los engordar rapidamente.

Não há dúvidas de que a carne de animais criados de forma natural é muito mais saudável, rica em ácidos graxos ômega 3, ácido Linoleico (CLA), que ajuda a reduzir a gordura corporal e vitaminas, tais como A e E. Além disso, a carne é uma excelente fonte de proteínas, ferro e gorduras saudáveis.

Sem contar outros nutrientes importantes como vitaminas K2, D3, B12, creatina, carnosina e muito mais. Em um estudo realizado em 2010 em 1.212.380 indivíduos, foi constatado que o consumo de carne vermelha orgãnica não aumenta os riscos de doença cardíaca ou diabetes.

2. Manteiga

A manteiga tem sido responsabilizada por muitos malefícios à saúde, entre eles o aumento de doenças cardíacas e obesidade. Mas a verdade é que a manteiga não é tão vilã assim, se você escolher o tipo certo.

Certifique-se que a manteiga que você consome é derivado do leite orgânico, porque isso pode ter um impacto importante sobre a composição de seus nutrientes. Um deles é a vitamina K2, que é muito importante tanto para a saúde óssea como para a saúde cardiovascular.

Outro nutriente na manteiga é o ácido butanoico, um ácido monocarboxílico, saturado, de cadeia aberta, que ajuda a aumentar o metabolismo e reduzir a quantidade de ingestão de alimentos. Além disso, alguns estudos mostram atividade anti-inflamatória e um efeito protetor no sistema digestivo.

A manteiga também é rico em ácido linoleico conjugado (CLA), um ácido graxo que segundo alguns estudos ajuda a reduzir a gordura corporal e aumentar a massa magra. Embora muitos digam o contrário, não há nada comprovado de que laticínios gordos possam causar algum dano à saúde.

3. Ovos

Os ovos estão entre os alimentos mais nutritivos do planeta, mas são condenados por conter uma grande quantidade de colesterol. No entanto, novos estudos mostram que o colesterol do ovo não eleva o mau colesterol no sangue, ao passo que que pode ajudar a elevar o bom colesterol (HDL).

Em 17 estudos, os cientistas não encontraram nenhuma associação entre o consumo de ovos com doença cardíaca ou acidente vascular cerebral. Um ovo possui apenas 77 calorias, 5 gramas de gordura, 6 gramas de proteína de qualidadee muitas vitaminas: A, B12, B2 e B5, entre outros.

Sem contar que é rico em minerais como fósforo, ferro e selênio e também de antioxidantes como a luteína e a zeaxantina, que são muito importantes para a saúde dos olhos. O ovos também contêm colina, um nutriente que muitos de nós é carente e muito importante para a função cerebral.

Segundo estudos recentes mostram que consumir ovos no café da manhã pode ajudar a perder mais peso em comparação às pessoas que comem pães, mesmo que a quantidade de calorias seja equivalente. Como vimos, não há razão para deixar de consumir ovos, pois são muito nutritivos.

4. Óleo de coco

Embora o óleo de coco seja rico em gordura saturada, chamados de triglicerídeos de cadeia média (TCM), é uma fonte saudável de energia. O ácido láurico e o monolauril presentes no óleo de coco contribuem para o bom funcionamento da tireoide, acelerando o metabolismo e o emagrecimento.

Além de ajudar na perda de peso, o óleo de coco ajuda a elevar o colesterol bom HDL e baixar o colesterol ruim LDL, contribuindo para a saúde cardiovascular. Mas na hora de comprar o óleo de coco, evite os processados ou refinados, dando sempre preferência ao óleo de coco extra-virgem.

Espero que tenham gostado das dicas de hoje e que tenham em mente que com moderação, não precisamos abrir mão dos alimentos que gostamos. E que muitos desses alimentos, que julgamos prejudiciais à saúde, na verdade não nos fazem mal, contanto que saibamos fazer as escolhas certas. 🙂

Compartilhe este artigo:Share on Facebook2Share on Google+0Email this to someoneTweet about this on Twitter

Quer receber dicas gratuitas de saúde e para emagrecer diretamente no seu email? Basta se inscrever abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *