7 dicas para combater o mau hálito

mau halito 1

Mau Hálito – Dicas de como combater esse problema

Se tem um coisa que causa constrangimento e embaraço para muitas pessoas que sofrem do problema é o mau hálito, também conhecido como halitose. Esse problema atinge um grande número de pessoas e interfere negativamente na saúde e na qualidade de vida, especialmente pelo âmbito social.

De manhã, após acordar é comum as pessoas terem o mau hálito matinal. Isso acontece por ocorre um menos fluxo de salivação enquanto dormimos e é resolvido assim que se escova os dentes ou se come alguma coisa. Agora, se o problema persistir depois disso, é preciso avaliar quais são as possíveis causas.

O problema é que boa parte das pessoas não percebe que possui esta condição e isso acaba retardando uma possível intervenção para afastar o problema. As principais causas do mau hálito é a higiene bucal inadequada, o consumo de alguns tipos alimentos, infecções bucais e problemas ligados ao esôfago e estômago.


Você não precisa conviver com esse problema desagradável para sempre. Na maioria dos casos, necessita-se de apenas algumas mudanças alimentares ou no estilo de vida para reverter esse quadro de uma vez por todas. Abaixo, deixaremos algumas dicas úteis e eficazes de como combater e tratar o mau hálito ou halitose.

Veja 7 dicas que ajudam a combater o mau hálito

1. Higiene bucal adequada
Segundo especialistas, 90% dos casos de halitose está na boca. Isso inclui higiene bucal inadequada e problemas bucais. Quando não se escova os dentes adequadamente ou com a frequência necessária, você estará dando chance para que as bactérias ruins que causam o odor desagradável se proliferem.

Resíduos alimentares e restos de células que descamam do epitélio lingual se acumulam na língua, causando fermentação e liberando substâncias ricas em enxofre, sendo esta uma das causas o mau hálito. Portanto, a higiene bucal não deve se restringir somente aos dentes e sim também à língua, céu da boca e gengivas.

Para uma higiene bucal eficiente, não se restrinja somente ao uso da escova dental convencional. Faça uso diário também do fio dental ou escova interdental e raspadores ou higienizadores linguais. Outra dica boa é enxaguar a boca com frequência para retirar os resíduos alimentares após as refeições.

Ao fazer isso, você também aliviará o odor dos alimentos que consumiu. Isso vale especialmente nos momentos que não estamos em casa. Você pode ainda optar por produtos de enxague bucal ou antisséptico bucais, dando preferência especialmente para aqueles que dióxido de cloro em sua composição.

Outra dica que pode ajudar é na hora de escolher o creme dental. Evite aqueles que contenham Lauril Sulfato de Sódio em sua composição, pois esta substância agrava o problema por causar ressecamento da mucosa bucal e descamação epitelial. Alguns da marca Sensodyne são livres desta substância.

2. De olho na alimentação

Alguns alimentos podem causar ou agravar o problema do mau hálito como carne vermelha, alho, cebola, refrigerante, suco de laranja e queijo. O alho contém compostos de enxofre que após serem digeridos, produzem sulfureto de metilo, que acaba sendo excretada pela boca, causando o mau cheiro bucal.

Reduza o consumo de carne e coloque mais fibras, legumes, frutas e verduras em sua alimentação. Uma dica eficaz é mastigar salsa, tomilho e alecrim, pois estar ervas possuem propriedades que ajudam a prevenir o odor bucal. O açúcar também é outro vilão do bom hálito e por isso evite-o.

Você pode até recorrer às balas e chicletes mentolados para aliviar o problema, mas escolha os que forem livres de açúcar, pois esta substância ajuda ainda mais na proliferação das bactérias ruins. Algumas marcas de balas e gomas com zero de açúcar são: Sugar Free Halls, Top Line, Mentos e Trident Fresh.

3. Não faça jejum prolongado

Ficar horas sem comer só irá piorar o problema já que devido à falta de alimento, o suco gástrico passa a ser sentido na boca. É comum as pessoas acabarem saindo de casa para o trabalho ou para escola sem nada no estômago. Muitos acabam dispensando a primeira e a mais importante refeição do dia que é o café da manhã.

Além disso, fazendo jejum prolongado, as pessoas acabam descuidando também da higiene, contribuindo para a formação do tártaro e placas bacterianas que por sua vez complicam ainda mais o problema. Portanto, nada de ficar muito tempo sem comer e não se esqueça de cuidar da higiene após as refeições.

4. De olho na Hidratação diária

Assim como a alimentação, a hidratação adequada é essencial para prevenir o mau hálito. Hoje em dias, com a vida corrida, as pessoas tendem a beber pouca água, especialmente se toma certas medicações que tendem a ter efeitos colaterais como diminuição da saliva que consequentemente causa secura da boca.

Além de ajudar muitas funções no organismo, a água também atua como um agente antibacteriano, eliminando as bactérias nocivas, ajudando na formação da saliva que por sua vez mantem a boca hidratada. Beba no minimo 8 copos diários. Outra dica também é o consumo de chá verde, pois ele contém agentes anti-oxidantes que ajudam na prevenção do mau hálito.

5. Consumo de cigarro e álcool

Além de trazer muitos prejuízos para a saúde em geral, o cigarro afeta também os dentes, gengivas e tecidos bucais. O vício de fumar faz com que a pessoa tenha redução do fluxo salivar, alterações teciduais, gengivite, cáries cervicais, mudança de paladar, além de aumentar os riscos de câncer de boca.

A bebida alcoólica também afeta o paladar e o hálito, pois interfere no metabolismo do corpo. O álcool ainda contribui para o acúmulo de substâncias no pulmão, que causam o odor desagradável. Portanto, abandonar esses dois hábitos nada saudáveis, irá ajudar a reduzir o mau hálito e também os riscos de muitas doenças.

6. Faça do dentista seu amigo

Na minha opinião, o primeiro passo para diagnosticar esta condição é se consultando com um dentista. Ele descobrirá se a causa do mau hálito ou halitose está na boca. Caso esteja, ele dará as orientações necessárias para o paciente se livrar do problema. Caso não esteja, com certeza, ele indicará o profissional adequado.

O ideal é que visitas periódicas ao dentista ocorram em um prazo mínimo de 6 meses em 6 meses. Só assim, você terá chances de diagnosticar logo o problema e trata-lo precocemente, antes que possa afetar sua vida íntima e social.

7. Procurar o especialista indicado

Nem sempre o problema está na boca! Nesse caso é preciso investigar as possíveis causas. Se você tentou todas as dicas até agora sem bons resultados, então o problema pode ser realmente de causa orgânica e isto só um profissional da saúde poderá avaliar.

Existem doenças que também contribuem para o problema como diabetes, inflamação das amídalas, doenças hepáticas e renais, refluxo, prisão de ventre e neoplasia, sinusite, entre outras.

Descobrir a origem do problema é o primeiro passo para resolver esta condição e assim ter uma vida social mais tranquila e sem constrangimentos.

Compartilhe este artigo:Share on Facebook
Facebook
4Share on Google+
Google+
0Email this to someone
email
Tweet about this on Twitter
Twitter

Quer receber dicas gratuitas de saúde e para emagrecer diretamente no seu email? Basta se inscrever abaixo!

3 Comentários

  1. Algumas dicas interessantes para combater o mau hálito. Se o problema persistir, é aconselhável consultar um profissional para ajudar-nos a resolver o problema do mau hálito. Saudações.

  2. Oi, tem uma solução grátis que pode ser muito útil, basta clicar no meu nome que você será redirecionado…

  3. Pingback: A Importância de Emagrecer com Saúde | Emagrecer Urgente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *