A Dieta dos Nossos Ancestrais

dieta dos nossos ancestrais

A Dieta dos nossos Ancestrais – O que é e como funciona?

Há um tempo atrás comentamos aqui no blog sobre a Dieta Paleo (Dieta Paleolítica), também conhecida como Dieta dos Homens das Cavernas ou Primal. Porém, as maiorias das informações a respeito, eram apenas em inglês. Mas um autor brasileiro, Caio Augusto Feury lançou um livro sobre essa abordagem nutricional em português. O livro chama-se A dieta dos nossos ancestrais.

Vejam a sinopse do livro:
Caio Fleury leva o leitor a uma fascinante jornada ao longo da evolução do ser humano, comparando o estilo de vida, o tipo de alimentação e a incrível saúde de nossos ancestrais com a alimentação e o estilo de vida do ser humano moderno – marcado pelo sedentarismo, que, associado a uma alimentação rica em carboidratos de alta carga glicêmica, traz diversos danos à saúde.

Pela primeira vez no Brasil, A Dieta dos Nossos Ancestrais oferece um programa comprovado cientificamente, que inclui o consumo de uma variedade de alimentos com todos os nutrientes essenciais de que precisamos para perder peso e alcançar uma saúde superior. Se esse é o seu objetivo, A Dieta dos Nossos Ancestrais é ideal para você!

A DIETA DOS NOSSOS ANCESTRAIS: de onde surgiu isso, afinal?
O livro A Dieta Dos Nossos Ancestrais não se baseia apenas em um plano alimentar, mas sim um conjunto de práticas saudáveis baseadas no estilo de vida que nossos ancestrais do período paleolítico levavam, seguindo a premissa de que nossos genes foram moldados durante esta era dentro de determinadas condições ambientais, como alimentação, exposição ao sol, movimentação, etc, e por isso, estão mais adaptados a viverem naquelas condições.

Embora o mundo tenha mudado desde então, os nossos genes mudaram muito pouco, o que nos leva a concluir que viveríamos melhor se vivêssemos dentro de condições similares à do nosso passado nestes aspectos.

Quando esta dieta foi criada?
Vários cientistas, antropólogos e médicos ao redor do mundo simplesmente revelaram o que já existia – a dieta dos nossos ancestrais caçadores-coletores. Embora não houvesse uma dieta universal para os nossos ancestrais, existiam características comuns à eles: eles não consumiam derivados do leite, eles raramente ou nunca consumiam grãos, eles não consumiam açúcar refinado – com exceção de mel, que era disponível apenas sazonalmente – e obviamente, eles não consumiam comida processada, produtos que compões 70% da nossa dieta atual.

Tentando nos aproximar dos os grupos alimentares (carne orgânica, frutos do mar, vegetais frescos, frutas e nozes) que nossos ancestrais consumiam com os alimentos disponíveis hoje nos supermercados nós podemos melhorar muito nossa saúde.

Quem deve seguir esta dieta e por quê?

A dieta não serve somente para perda de peso em si, mas sim uma maneira de se alimentar para o resto da vida, melhorando todos os aspectos da saúde e bem estar. Por isso pode e deve ser seguida por qualquer pessoa.

Pessoas acima do peso podem e vão perder peso com esta dieta, mas mais importante do que isso, elas vão reduzir o risco de desenvolverem doenças crônicas como hipertensão, colesterol alto, doenças cardíacas, câncer, osteoporose, doenças auto-imunes, males que fazer parte da nossa vida à medida que vamos envelhecendo.

Quais são os benefícios desta dieta?
Sendo bem direta: perda de peso (gordura), definição muscular (aumento da massa magra), melhorias no sono, melhorias no humor, aumento da sua claridade mental (nada de sonolência após as refeições), maior ganho de energia durante o dia (você vai se sentir disposto como nunca).

Você não precisa ter força de vontade nesta dieta, pois não é necessário restringir calorias. O número na balança não significa nada. Parece milagre, mas não é! É apenas o resultado de uma alimentação adequada para você, pois você está ingerindo o combustível que os seus genes foram programados para receber.

Quais alimentos fazem parte da dieta primal?
Segue uma lista bem básica do que você deve consumir:

À vontade:
Ovos, carnes orgânicas, peixes,frutas nozes, sementes, chás, coco, caldos feitos à partir de osso, abacate, berries

Com moderação:
Chocolate amargo, vinho tinto, queijos, tubérculos (mandioquinha, nhame, batata doce, batata*) e derivados do leite**

Nunca:
Grãos (integrais ou refinados), óleos vegetais processados e alimentos processados em geral.

Por que esses alimentos devem ser consumidos com moderação?
* batata: a batata comum possui um alto índice glicêmico, ou seja, quando a consumimos, o carboidrato (açúcar) é liberado no sangue mais rapidamente fazendo com que o seu corpo, em resposta, libere mais insulina para regular os níveis de açúcar no seu sangue. Como já sabemos, esse excesso de insulina no sangue é prejudicial à saúde e engorda. O que determina se você deve comer batata ou não é basicamente o seu metabolismo e como você responde à insulina. No entanto, se você está tentando perder peso, eu evitaria as batatas.

** derivados do leite: não são exatamente alimentos consumidos por nosssos ancestrais, pois eles não o consumiam depois da infância. Mesmo assim, alguns derivados como iogurte fornecem probióticos que ajudam a digestão. Além disso, manteiga e creme de leite (cru) oferecem grandes quantidades de gordura saudável. Em resumo, se você tolera bem leite e seus derivados, estes podem ser consumidos com moderação.

Eu preciso tomar algum suplemento com esta dieta?
Não. No entanto, se você não consome peixe regularmente (pricipalmente peixes de água fria, como salmão, atum e sardinha) é interessante tomar um suplemento de óleo de peixe, para melhorar seus níveis de ômega 3. Neste mesmo sentido, se você não toma sol com frequência (cerca de 15 min por dia já é suficiente), um suplemento de vitamina D também é aconselhável.

Por que essa dieta funciona?
Porque ela é geneticamente compatível com você. Os humanos modernos carregam uma cópia dos mesmos genes dos nossos ancestrais de Cro-Magnon de mais de 28 mil anos atrás. Pelo menos 70% dos europeus de hoje têm genes relacionados aos do pequeno grupo de homens de Cro-Magnon que conseguiu sobreviver à última era glacial. As origens das sete tribos de seres humanos da Europa podem ser traçadas a sete homens que viveram entre 100 mil a.C. e 40 mil a.C.

Por que, então, esse mesmo material genético, que antes expressava saúde, magreza e músculos nos nossos ancestrais, hoje expressa obesidade e doenças crônicas?

A resposta certamente está no ambiente em que os genes se expressam, ou seja, na nossa moderna sociedade abundante. O seu DNA é como uma receita, mude os ingredientes e você mudará o resultado. Nossos genes estão sujeitos aos sinais que enviamos à eles.

Com os sinais errados, uma pessoa saudável fica doente, assim como uma pessoa com peso normal fica obesa. Você só precisa identificar quais sinais fazem os genes certos se expressarem de maneira saudável e suprimir àqueles que podem estar destinados à acumular gordura, comprometer o sistema imunológico ou aumentar o processo inflamatório. E tudo isso você consegue com a dieta dos nossos ancestrais.

Se você quiser saber
mais informações como
preços e onde adquirir
o livro A Dieta dos
Nossos Ancestrais
de Caio Augusto Fleury
então clique aqui.

Compartilhe este artigo:Share on Facebook
Facebook
0Share on Google+
Google+
0Email this to someone
email
Tweet about this on Twitter
Twitter

Quer receber dicas gratuitas de saúde e para emagrecer diretamente no seu email? Basta se inscrever abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *