Dieta Macrobiótica – Yin e Yang

“Você é aquilo que você come.”
Essa frase tem tudo a ver com a Dieta Macrobiótica, que é muito mais do que uma simples dieta.
A dieta macrobiótica é uma abordagem filosófica que implica num estilo de alimentação que enfatiza a qualidade e o equilíbrio de alimentos (Yin e Yang) que fornecem um poderoso efeito na saúde, bem-estar e felicidade. O fundamento deste plano alimentar é orgânico, natural e vegetal.
É confundida com a Dieta Vegetariana, porém a Dieta Macrobiótica permite carne de peixe em pequena escala.
“Macrobiótica” em grego significa “vida longa”.

Origem da Dieta Macrobiótica

George Ohsawa

A prática moderna de macrobiótica é dito ter originado no Japão, na virada do século XX, quando dois educadores japoneses, Sagen Ishitsuka e Yukikazu Sakurazawa, curaram-se de doenças graves, adotando uma dieta simples de arroz, sopa de miso e algas.

Depois de recuperar a sua saúde, Ishitsuka e Sakurazawa (conhecido no Ocidente por seu pseudônimo George Ohsawa) trabalharam para integrar a filosofia oriental e ocidental e da medicina para formar a dieta e estilo de vida dos princípios que hoje é conhecida como a macrobiótica.

Princípios da Dieta Macrobiótica (yin e yang)

A prática da macrobiótica está enraizado no reconhecimento da natureza evolutiva do universo e uma compreensão do conceito de yin e yang.

Segundo Michio Kushi, autor de vários livros sobre os princípios da macrobiótica:

“Tudo no universo está eternamente em mudança, e essa mudança se processa de acordo com a ordem infinita do universo. Opostos atraem-se mutuamente para alcançar a harmonia, e semelhantes repelem-se mutuamente para evitar a desarmonia.
Estes ciclos ocorrem por toda a natureza e o universo. “

Na filosofia oriental, os “opostos”, são as forças que se opõem conhecido como yin e yang. Yin, representante de um movimento interno centrípeta, produz a contração, enquanto Yang, representante de um movimento de centrífuga, resulta em expansão. Além disso, yin é considerado frio, enquanto o yang é quente, yin é doce, yang é salgado, yin é passiva, yang é agressivo.

alimentos yin e yang

As forças do yin e do yang também estão presentes nos alimentos que comemos. Embora todos os alimentos tenha as duas, alguns alimentos são extremamente yin, enquanto outras são extremamente yang. Na visão macrobiótica, para alcançar a saúde ideal, as forças do yin e yang no corpo de uma pessoa devem ser mantidos em equilíbrio.

A dieta macrobiótica tenta equilibrar as forças de expansão e contração nos alimentos que comemos. Para este efeito, os alimentos são divididos em yin e yang. Alimentos intermediários do yin / yang formam a maior parte da dieta, enquanto os alimentos considerados extremamente yin ou yang devem ser evitados.

Alimentos permitidos na Dieta Macrobiótica são as seguintes:

50% a 60% grãos

•Grãos inteiros, incluindo arroz, cevada, milheto , aveia, milho, centeio, trigo integral e trigo-sarraceno, acredita-se ser o mais equilibrado de alimentos na / yang ying continuum, e deverão incluir 50-60% de diário alimentar uma pessoa ingestão. Embora os grãos integrais são preferenciais, pequenas porções de massa e do pão de farinha refinada pode ser ingerido.

•Os vegetais frescos devem incluir 25-30% da ingestão alimentar. O consumo diário de qualquer um dos seguintes vegetais é altamente recomendável: repolho, brócolis, couve-flor, couve, couve chinesa, couve, mostarda, nabos e nabiças, cebola, rabanete, abóbora. Legumes para serem consumidos ocasionalmente (2-3 vezes por semana) incluem aipo, alface, cogumelos, ervilhas e feijão verde. Os vegetais devem ser cozinhados em vapor ou salteados com uma pequena quantidade de óleo de cozinha não refinado (de preferência de gergelim ou óleo de milho).

5% a 10% Algas e feijões

•Feijão e vegetais do mar (algas) devem incluir 5-10% da ingestão alimentar diária. Especialmente recomendado são feijão azuki, grão (grão de bico) e lentilhas. Os vegetais do mar, incluindo wakame, hiziki, kombu, agar agar e nori, são ricos em vitaminas e minerais e devem ser adicionados a cada refeição.

•Sopas e caldos compreendem 5-10% da ingestão alimentar. Sopas contendo miso (pasta de soja), vegetais e grãos são aceitáveis.
Algumas porções cada semana de nozes, sementes e peixes frescos (linguado, solha, bacalhau, truta) são permitidas.

Xarope de arroz

•Xarope de arroz, malte de cevada, stévia  e amasake podem ser utilizadas como edulcorantes (adoçantes). Vinagre de arroz e vinagre de ameixa umeboshi pode ser usado ocasionalmente. Sal marinho e molho de soja podem ser usados.

•A ingestão de líquidos deve ser regido pela sede. Apenas os chás feitos de grãos torrados ou chá verde são aceitáveis. Todas as bebidas que contenham cafeína devem ser evitados. A água que se usar no preparo dos alimentos deve ser mineral ou filtrada.

Somente sal marinho

Somente sal marinho

•Os alimentos só podem ser salgados com sal marinho e devem ser cozidos com óleo vegetal ou água. Também é importante o uso de potes e panelas feitas de madeira, barro, ferro, vidro, cerâmica, aço inoxidável e peças esmaltadas.

•Todos os alimentos devem ser cultivados organicamente, sem adubos e agrotóxicos químicos. Deve-se consumir apenas frutas frescas (ao invés de congelados). Frutas importadas também devem ser evitadas.

•Macarrão e massas de farinha refinada são permitidos em pequenas porções. Cozinhe os alimentos naturais com óleos não refinados. Carne ou peixe ocasionalmente é permitido.

comer devagar

• Nozes e sementes são permitidas ocasionalmente, podendo ser levemente assados ​​e polvilhados com sal marinho e servidas como aperitivo.

Dieta Macrobiótica incide também sobre saborear a comida, em comer devagar e mastigar muito bem os alimentos.

Alimentos que devem ser evitados na Dieta Macrobiótica:

  • carne vermelha
  • gorduras animais,
  • produtos lácteos
  • chocolate e açúcares em geral,
  • tomate, berinjela e batata
  • pimentão, espinafre, beterraba
  • café, chá com cafeína, bebidas estimulantes, álcool
  • condimentos e temperos, picante,
  • alimentos refinados e industrializados,
  • todos os alimentos que foram cultivados com fertilizantes químicos,
  • todos os alimentos com conservantes e aditivos corantes.

Prós da Dieta Macrobiótica

A Dieta Macrobiótica é um plano alimentar que se concentra em comer alimentos mais próximos da terra e menos processados, e com isso, ela induz a um conceito de alimentação saudável. É o caminho para uma boa saúde física e saúde mental, mas especialistas em nutrição dizem, pode cair em um déficit de proteína e vitaminas .

Contras da Dieta Macrobiótica

Uma das preocupações médicas sobre esse tipo de dieta é a possível deficiência de vitaminas e minerais que não são consumidas diariamente. Embora a dieta macrobiótica seja pobre em gordura e rica em fibras, também é necessário observar o equilíbrio de legumes e proteínas para manter uma dieta saudável de nutrientes.

Um dos principais problemas é que a dieta macrobiótica restringe o consumo de água, o que pode levar a problemas de desidratação.

Ela também impede o uso de suplementos vitamínicos e à falta de proteína na dieta pode causar anemia, desnutrição, deficiência de escorbuto e cálcio, entre outros.

Outra desvantagem da dieta macrobiótica é que ele inclui muitas comidas japonesas que são mais difíceis de obter, como soja, algas, tofu, entre outros.

Veja também: Sugestão de Cardápio da Dieta Macrobiótica

Compartilhe este artigo:Share on Facebook
Facebook
18Share on Google+
Google+
0Email this to someone
email
Tweet about this on Twitter
Twitter

Quer receber dicas gratuitas de saúde e para emagrecer diretamente no seu email? Basta se inscrever abaixo!

2 Comentários

  1. Pingback: Emagrecer com água morna em jejum - Perca 2 kg por semana | Dieta Saúde e Beleza

  2. Pingback: Sugestão de cardápio para a Dieta Macrobiótica | Dieta Saúde e Beleza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *